Dor de cabeça!!

Desde bem pequeno me lembro de sentir dores de cabeça. Lembro de acordar a noite com vontade de gritar e ficar andando pelo quarto até a dor passar ou a exaustão me vencer e meu corpo colapsar na cama. Isso acontece até hoje e apesar de ter se tornado um pouco mais frequente nos últimos anos e até nos últimos meses, não é o meu tipo de dor de cabeça mais familiar.

Em geral tenho dores bem mais fracas que podem me azucrinar o dia todo, indo e voltando. As vezes cedendo, ou parecendo ceder, com medicação, as vezes não. Essas mais comuns também tem aumentando nos últimos anos e por causa de um estomago fraco tenho que me policiar com eventuais analgésicos.

Nestes últimos meses tenho contado de 3 a 4 por semana, pelo menos. O que não é mau.

Tenho dores de fundo de olho, na nuca, pulsantes em toda a cabeça e de um lado só e de tempos em tempos algumas com direito a náusea e mais raramente vômito. Nunca vi as famosas auras de enxaqueca e no máximo notei uma  fraca e eventual sensibilidade a luz. Além disso tenho consciência, por relatos de conhecidos e por leitura de material técnico, que minhas dores não são nem de perto as piores possíveis, mas sabe-se lá por que isso não me conforta. Muitas vezes me sinto pior por saber deste tipo de sofrimento existe. Talvez por poder experimentar uma fração dele eu me torne mais sensível ao sofrimento alheio. E se este sentimento se soma com uma dor de cabeça meu dia foi arruinado de vez. Felizmente este fato é raro porque as dores de cabeça, sobretudo as mais intensas, nos levam ao extremo do individualismo. Raramente consigo pensar em algo coerente quando tenho as crises mais fortes, apenas consigo pensar coisas como “Quando isso vai passar?” Se consigo contar, como  às vezes os adultos ensinam as crianças a contar entre um trovão e outro durante uma tempestade, ou apertar fortemente o espaço da minha mão entre meu polegar e o meu indicador, para tentar desviar minha atenção da dor, já me sinto por satisfeito.

Já tentei estabelecer correlações com as minhas crises de cefaleia: dormir demais, dormir de menos, dormir com os cabelos molhados, dormir com o ventilador ligado, beber muito sem me manter hidratado, beber tanto quanto,mas me mantendo hidratado, e por aí vai. Infelizmente consegui achar correlações, candidatas a fatores causais, em todas essas circunstâncias. Até ter dor de cabeça às vezes parece me predispor a ter mais dores de cabeça. Se é que isso é possível. Claro, estresse e irritação, algo em que sou pródigo, não está fora da lista.

Uso em geral paracetamol, mas estou para experimentar medicamento a base de ergotamina, mas este tem destino especial. Não pretendo usá-lo para as minhas dores do dia a dia, as que só me deixam mau humorado e me tiram a concentração e vontade de fazer qualquer coisa. A ergotamina vou testar naquelas dores clássicas que me perseguem desde a infância, que parecem ser de natureza vascular, nas quais permanecer deitado ou sentado só pioram o quadro. Essas sim é que me deixam louco e me dão vontade de gritar, de urrar de amaldiçoar toda a existência e todo mundo que não está sofrendo comigo.

Não, não estou sentido nenhuma dor de cabeça neste exato momento. Meu nariz está parcialmente obstruído, o que tem se tornado muito comum, e minhas costas doem pra burro (o que faz que tenha de ficar trocando de posição enquanto escrevo), mas felizmente minha cabeça não dói.

Por enquanto só sinto a calmaria.

About rodveras

I'm a biologist and science writer who loves philosophy and sciences.
This entry was posted in Dor de cabeça, Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s