Controlando a mente dos animais

Não é difícil encontrar exemplos de parasitas que manipulam o comportamento de seus hospedeiros de maneira que aumentem suas próprias chances de sobrevivência e reprodução, a despeito do triste destino das criaturas por eles infectadas, mas apenas mais recentemente é que os cientistas começaram a compreender como exatamente isso ocorre. Fazem isso, por exemplo, através de estudos proteômicos os pesquisadores tem conseguido comparar os padrões de expressão de certas proteínas nos cérebros de animais infectados e não infectados, assim como, de maneiras mais diretas, ao investigarem o que ocorre em certas regiões cerebrais e com determinados neurotransmissores, como serotonina e dopamina. Desta forma, ganhando insights sobre  quais as vias neuroquímicas são sequestradas pelos parasitas  e como as moléculas que fazem parte delas estão envolvidas neste tipo de manipulação.

Em janeiro deste ano, um artigo de divulgação muito interessante saiu na revista The Scientist que ilustra um pouco sobre o que temos aprendido sobre essas bizarras estratégias de vida que parecem saídas de filmes de terror, como “Invasores de corpos” e “Enigma do outro mundo”.

_________________________________________________

About rodveras

I'm a biologist and science writer who loves philosophy and sciences.
This entry was posted in Ciências cognitivas, Neurociências, Pesadelos. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s